NOTA DE APOIO AOS TÉCNICOS

Como é de conhecimento da maioria, os técnicos administrativos da nossa universidade estão em greve junto a outros vários sindicatos organizados na FASUBRA. Fato é que as reivindicações negociadas na última greve, até então, não foram atendidas. No que diz respeito às pautas internas, ou seja, aquelas que o Sindicato dos Técnicos (SINDS) está em negociação com a reitoria da UFSJ, contatos já foram feitos e até então nenhuma resposta oficial foi dada.

Entendemos que a luta dos técnicos conflui diretamente com a luta dos alunos por melhorias na universidade e na educação como um todo. O Diretório Central dos Estudantes (DCE), vem mantendo conversas constantes com o SINDS no sentido de debater as reivindicações e dar visibilidade às mesmas, uma vez que as conquistas obtidas até então são frutos da organização dos setores existentes na universidade.

Além de justas as reivindicações de melhoria nas condições de serviço e o fim das terceirizações na universidade, os técnicos estão com suas atividades paradas por pautas internas, dentre estas se destacam: Mestrado profissional; ginástica laboral; ergonomia; proser; segurança; plano de saúde institucional; balcão de saúde para os aposentados.

A UFSJ tem passado por um processo de expansão desde 2007 com o REUNI, mas o número de técnicos continua o mesmo em termos absolutos desde então, o SINDS considera insuficiente o número de técnicos que serão contratados através do concurso que se realizará no dia 25/05, onde está previsto a contratação de 43 técnicos – na sede. O Sindicato estima que para suprir as necessidades postas atualmente na universidade, o número de técnicos contratados teria de serem aproximadamente 180 servidores.

Enquanto os técnicos paralisam suas atividades, são encontrados inúmeros alunos (as), que são bolsistas de permanência, cumprindo funções de competência dos técnicos administrativos. Isso é prejudicial ao aluno que deveria ter a sua permanência garantida nesta instituição e, no entanto está sobrecarregado para que as atividades administrativas não parem na universidade.

Além disso, foi enviado à reitoria um documento que pede explicações quanto ao aumento no valor das refeições no restaurante universitário, segundo informações, todas as refeições servidas tiveram reajuste, no entanto para os alunos a universidade continuou mantendo o valor já praticado – a refeição dos alunos é subsidiada pela universidade -; já para técnicos e visitantes da universidade, o valor foi reajustado de 4,95 para 11,18. É necessário saber o motivo do reajuste nas refeições e de que forma foi realizada a licitação para a contratação da empresa que opera o RU, uma vez que a qualidade das refeições está como antes e, tal aumento ultrapassa a inflação do último período – a inflação do ano de 2013 foi de 5,91%¹ e a elevação do preço da refeição representou um aumento de 126%.

O DCE se solidariza com as bandeiras levantadas na greve dos servidores e reafirma sua posição de classe, estamos do lado da classe trabalhadora.

Vamos juntos apoiar a greve dos técnicos da UFSJ!