top of page

“CAFÉ COM LUTAS”: SINDS-UFSJ TRAZ REFLEXÕES SOBRE O DIA DO TRABALHADOR



Em assembleia da categoria, os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal de São João del-Rei aderiram ao Dia Nacional de Paralisação dos Servidores Públicos pela Campanha Salarial Unificada 2022, que está acontecendo em todo o país nesta quinta (28).


Como parte da programação de mobilização para o data, o Sinds-UFSJ realizou mais uma edição do “Café com Lutas”, desta vez tendo como foco o Dia do Trabalhador.


Além dos servidores da UFSJ, o evento contou com a participação de representantes de outros sindicatos de trabalhadores de São João del-Rei, como professores da rede estadual de ensino, metalúrgicos e profissionais da saúde.



Janaine Ferreira, coordenadora da subsede do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) de São João del-Rei, relembrou a luta da categoria contra o Governo do Estado pelo pagamento do piso salarial.


“Nós avaliamos que conseguir aprovar na Assembleia Legislativa o reajuste foi muito positivo, é uma sinalização de que a gente tem a possibilidade de resgatar o regime de recuperação fiscal aqui em Minas”, disse a professora.


Ferreira também falou do resultado positivo das manifestações e paralisações dos professores da rede municipal de ensino que conseguiram pressionar os vereadores de São João del-Rei a vetar o projeto do executivo que propunha o parcelamento das dívidas da administração municipal com o Instituto Municipal de Previdência (IMP) em 35 vezes.



José Raimundo, presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Hospitais, Laboratórios e Consultórios Médicos e Odontológicos de São João del-Rei (Sintras), reforçou a importância da consolidação da união sindical e ressaltou a fragilidade do sistema de saúde pública durante o Governo Bolsonaro, exposta ainda mais devido a pandemia da Covid-19.


“Outra questão em defasagem é a questão salarial. Em São João del-Rei, existem profissionais da saúde recebendo um salário mínimo (...) O pessoal da UPA, Unidade de Pronto Atendimento, não recebe sequer adicional de insalubridade”, destacou o presidente do Sintras.



Gustavo Henrique Almeida, membro da base do Sinds-UFSJ, falou sobre a luta unificada dos servidores públicos nacionais pelo reajuste salarial.


“Foi sinalizada a possibilidade de um reajuste de 5%, que é um valor irrisório, mas já é um reajuste. Só que isso ainda nem saiu de forma oficial, e essa falta de informações levanta a preocupação de que não haja nem esse reajuste de 5%”, disse o servidor.



Arnaldo Passos, representante do Sindicato dos Metalúrgicos de São João del-Rei (SindMetal), relembrou as conquistas obtidas pela categoria em sua própria campanha por reajuste salarial e melhores condições de trabalho.


“Tudo que a gente tem no nosso acordo de trabalho, desde as questões de saúde à salário, foi conquistado com o suor das lutas do trabalhador. O sindicato que é presente consegue muita melhoria para o trabalhador”, reforçou.


O coordenador do Sinds-UFSJ, Joaquim Costa, voltou sua fala para uma reflexão sobre o Dia do Trabalhador: “O nosso salário mínimo deve ser um salário que dignifique o trabalhador, que dê condições da pessoa sobreviver. Se não for assim o trabalho não está dignificando o homem, está escravizando”.


Confira o evento completo aqui.



Assembleia Ampliada


Ainda como parte da programação do Dia Nacional de Paralisação dos Servidores Públicos pela Campanha Salarial Unificada 2022, o Sinds-UFSJ realizou na tarde desta quinta (28) uma “Reunião Ampliada com a Base”, que contou com a participação do diretor da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), Toninho Alves, debatendo as perspectivas da campanha pelo reajuste salarial para os servidores.


bottom of page