EM ASSEMBLEIA, SINDS-UFSJ COBRA PASSAPORTE DA VACINA PARA RETORNO PRESENCIAL


O Sinds-UFSJ se reuniu em assembleia na tarde desta sexta (19). Além dos informes gerais, a assembleia discutiu o documento que será apreciado pelo Conselho Universitário (Consu), nesta segunda (22), com a Proposta de Plano Gradual das Atividades Presenciais da UFSJ, elaborada pela Comissão Específica para a Definição das Linhas Gerais do Planejamento do Retorno Gradual das Atividades Presenciais da UFSJ.


As servidoras Ana Flávia de Abreu e Ana Lúcia Mendes, membros da comissão, apresentaram alguns dos pontos principais do documento. O primeiro deles é de que o retorno não será facultativo, exceto para os membros do grupo de risco regulamentado pela Instrução Normativa (IN) nº 90.


Para os membros do grupo de risco, bastará apresentar uma autodeclaração de comorbidades para manutenção do trabalho em regime remoto. O mesmo ocorrerá com os membros do grupo de risco que optarem por voltar às atividades presenciais, eles deverão apresentar uma declaração de responsabilidade, com exceção das gestantes, que não possuem essa prerrogativa.


O documento prevê também o retorno gradual das atividades presenciais na universidade, começando no dia 3 de janeiro, com gestores e cargos de chefia, e terminando no dia 14 de fevereiro, com o retorno de 100% da comunidade acadêmica.


Além disso, a comissão inseriu no documento a exigência do passaporte vacinal de todos os membros da comunidade acadêmica para retorno presencial.


Em assembleia, os servidores(as) sindicalizados(as) ao Sinds-UFSJ deliberaram encaminhar ao relator do documento alguns questionamentos e a recomendação de que seja mantida a exigência de comprovação de vacinação contra a Covid-19.


Os questionamentos dizem respeito ao regime de seis horas proposto para os servidores, até quando irá sua duração, a possibilidade de revezamento dos servidores em trabalho presencial, quais são as recomendações para os espaços de trabalho sem ventilação adequada e que contam com número elevado de servidores e uma ponderação sobre o caso de pessoas que moram com membros do grupo de risco e não estão contempladas na IN 90, ou seja, terão que retomar as atividades presenciais.


O documento, e todos os pontos mencionados, ainda precisam ser aprovados pelo Conselho Universitário (Consu).


Informes


Durante a assembleia, alguns informes também foram feitos aos sindicalizados presentes. O primeiro deles foi de que a posse da nova diretoria do Sinds-UFSJ está marcada para ocorrer no dia 30 de novembro. A prestação de contas da diretoria atual ocorrerá no dia 29.


Além disso, os servidores foram convidados a prestigiar o filme nacional “Marighella”, que estará em cartaz em São João del-Rei até a próxima quarta (24) e para participar do ato unificado #20nforabolsonaroracista, que ocorre neste sábado (20), a partir das 15h30, na Praça do Coreto, em São João del-Rei, organizado pelo Movimento Negro em parceria com a Frente Fora Bolsonato.


Os servidores Lucas Aarão e Bruno Campos informaram a base sindical sobre os debates e encaminhamentos que estão ocorrendo na universidade sobre a Instrução Normativa (IN) 65, que trata sobre o teletrabalho na universidade. Uma resolução que trata do assunto já está na posse da gestão e aguarda apreciação no Conselho Universitário (Consu).


Os servidores frisaram que essa é uma demanda muito grande da categoria, ainda mais com a provisão de retorno das atividades presenciais para o próximo ano. Eles sinalizaram também que seria interessante promover um debate maior para esclarecer a comunidade o que é o teletrabalho e suas diferenças quanto ao trabalho remoto emergencial, adotado em decorrência da pandemia da Covid-19.