NOTA À COMUNIDADE ACADÊMICA



A rápida mobilização da comunidade acadêmica da UFSJ, provocada pelo Sinds-UFSJ e pela ADUFSJ - Seção Sindical, nesta terça (15), conseguiu reverter a demissão de 10 trabalhadoras terceirizadas da universidade.


Essas trabalhadoras não puderam atender à determinação da reitoria de retornar ao trabalho presencial, uma vez que apresentam comorbidades e, portanto, são vítimas potenciais da pandemia da covid-19.


O caso é um exemplo clássico da fragilidade dos trabalhadores brasileiros em tempos de crise, especialmente após a Reforma Trabalhista do governo Bolsonaro, que tornou as relações de trabalho ainda mais precárias.


E configura um importante alerta do que pode ser o futuro de todos nós, professores e técnicos da UFSJ, caso a Reforma Administrativa em curso, com sua proposta de fim da estabilidade dos servidores públicos, vingue no Congresso Nacional.


Sigamos alertas e juntos em luta na defesa da ciência e da universidade como ferramentas para garantir melhores condições de vida a todos os brasileiros e brasileiras!