top of page

NOTA DE REPÚDIO TAE'S DO CTAN



Atendendo solicitação de servidores do CTAN filiados ao SINDS-UFSJ divulgamos a seguinte nota de repúdio.


Nota de Repúdio – Técnicos Administrativos CTAN


Nós, servidores técnicos-administrativos lotados no CTAN, incomodadas/os com a forma com a qual a gestão tem conduzido algumas questões na UFSJ, vimos manifestar nosso repúdio as seguintes questões descritas abaixo:


Primeiramente, a adoção inicial sem qualquer transparência dos critérios de escolha das unidades e servidores que participam do plano piloto para a implantação do PGD na UFSJ, o qual exclui o CTAN e os outros Campi do “teste”, e entendemos que várias questões precisam ser elucidadas:


* Qual a forma com que foi autorizado a criação de um plano Piloto em detrimento à Resolução da CONSU que previa Edital?;

*Quais os critérios adotados para a seleção pelas Pró-reitorias dos setores e servidores que poderiam aderir ao dito plano?;

* O piloto não deveria ser testado presencialmente? E se sim, por que há servidores já em trabalho remoto (teletrabalho)?;

* Não foi considerado nesse plano inicial os servidores com vulnerabilidades, uma vez que muitos, como sabemos, já estão trabalhando de casa?

* Não seria importante a aplicação do plano nos diferentes Campi, justamente para testar a eficácia do sistema em distintos ambientes e em diversificados setores de atuação?


A segunda questão, é a ausência por meses de sistema de telefonia no CTAN, lembrando que a falta de tal estrutura se deu no momento de matrículas, começo do semestre com chegada de calouros. Esse descaso é prova da completa falta priorização de atendimento ao segmento discente que necessita de comunicação eficiente, algo de difícil percepção no momento no CTAN.


O terceiro ponto, é a logística de funcionamento do Restaurante Universitário (RU), que vem se mostrando completamente ineficaz com filas intermináveis e falta de um sistema de uso por parte dos servidores, alunos de pós-graduação e comunidade externa. A UFSJ não tem nenhum tipo de política interna para atender aos usuários permanentes do campus (servidores). O campus CTAN fica em área rural da cidade, não dispõe de caixa eletrônicos e muitas vezes o restaurante fica descoberto, cobrando apenas em dinheiro. Diante do exposto, fica evidente que o contrato com a empresa que gere o restaurante deve fazer exigências como a obrigatoriedade de uma máquina de cartão e de um sistema que contemple os servidores do campus. As pró-reitorias de Pessoas e de Assuntos Estudantis, em ação conjunta deveriam implementar uma política interna de atendimento aos servidores nos restaurantes universitários. Não estamos pedindo que nossas refeições sejam subsidiadas como as dos estudantes de graduação, mas que possamos nos alimentar com mais dignidade. Outras IFES possuem sistemas eletrônicos que tornam ágeis os processos de funcionamento dos restaurantes universitários, como a UFLA, por exemplo, que emite uma carteirinha para servidores e essa carteirinha é ligada a um sistema próprio do Restaurante em que estes podem carregar quantos créditos quiserem, ser terem que enfrentar todos os dias a fila de compra de créditos.


Lamentamos que tenhamos que nos manifestar publicamente sobre essas questões, mas diante do impasse entendemos que é dando visibilidade aos problemas enfrentados que poderemos encontrar alguma solução efetiva.


Aluízio Sérgio da Silva

Adriene Aparecida de Carvalho

Rafael Vinícius Nonato

Bruno Ribeiro Caputo

Denilson Ronan de Carvalho

Marcius Vinícius Barcelos

Daniela Regina Resende

Silval José da Silva Júnior

Mark Tom Sawyer Ferreira Feliciano

Waldir da Cunha Ramos Neto

Itamar José do Amaral

Pedro Inácio Leonel Ferreira Soares

Pedro Frederico Alcântara Decot


Nota de Repúdio tae ctan
.pdf
Download PDF • 181KB

bottom of page