“SEM SERVIÇO PÚBLICO NÃO TEM DEMOCRACIA E SEM SERVIDOR NÃO TEM SERVIÇO PÚBLICO”, DECLARA DEPUTADA


Continuam em Brasília as manifestações de servidoras e servidores públicos contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 32, PEC da Reforma Administrativa. Coordenada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), e também pelos sindicatos nacionais e de base do funcionalismo, as mobilizações desta quinta (28, Dia do Servidor Público, contaram com a presença da categoria que realizou um protesto em frente ao Ministério da Economia.


Na quarta (27), o ato foi na Câmara dos Deputados e contou com a participação dos parlamentares contrários à aprovação da PEC, que, na prática, regulamenta o desmonte dos serviços públicos no país.


A deputada federal Talíria Petrone (PSOL/RJ) destacou o absurdo da proposta de Reforma Administrativa, principalmente, no contexto em que o Brasil se encontra, com mais de 14 milhões de desempregados e mais de 114 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar. Além disso, lembrou também que o país ainda enfrenta a pior crise sanitária dos últimos tempos, a pandemia da Covid-19, que já deixou mais de 600 mil mortos.


“E é no meio disso tudo que a base de Jair Bolsonaro na Câmara quer desmontar o estado brasileiro, quer destruir o estado brasileiro. É disso que se trata a PEC 32, é a destruição da nossa democracia, porque sem serviço público não tem democracia e sem servidor não tem serviço público”, declarou a deputada.


Petrone (PSOL/RJ) lembrou também que, apesar da tática do governo de tentar colocar a população mais pobre contra os servidores públicos alegando que a PEC 32 tem como objetivo “combater privilégios”, justamente essa população mais vulnerável, usuária do Sistema Único de Saúde (SUS), das escolas públicos e diversos outros serviços públicos estará entre os mais prejudicados com a medida.


Também presente nas manifestações, a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL/SP) destacou a importância da luta e mobilização dos servidores(as) para impedir, até o momento, que a PEC 32 seja votada e aprovada.


“A população brasileira, ao contrário do que eles (governo e aliados) dizem, está do lado do servidor (...) O que eles querem de verdade é acabar com os direitos sociais, transformando aquilo que hoje é de acesso público em mercadoria”, frisou a deputada.


Na semana do Servidor Público, o deputado federal Rogério Correia (PT/MG) aproveitou a oportunidade para parabenizar os servidores e todos aqueles que lutam pelos serviços públicos do país.


“Essa PEC da deforma administrativa, ela quer o fim do serviço público. O que Bolsonaro e Paulo Guedes querem é colocar as mãos sujas no dinheiro do SUS, no dinheiro do FUNDEB, e entregar para a iniciativa privada”, acrescentou o deputado.


Para o deputado Reginaldo Lopes (PT/MG) as mobilizações contra a Reforma Administrativa são uma oportunidade para reafirmação diária da importância do estado brasileiro e de suas políticas públicas, que serão essenciais para resgatar um Brasil mais digno e com maiores oportunidades para a população.


“Estamos também reafirmando, com essa luta e resistência, o papel extraordinário dos servidores e das servidoras públicas (...) nós acreditamos no estado democrático de direito, nós acreditamos no trabalho dos servidores públicos para transformar o Brasil em um país melhor”, disse Lopes.


Fotos: Marcius Barcelos