SERVIDORES DA UFSJ DEFLAGRAM ESTADO DE GREVE



Em assembleia extraordinária realizada na manhã desta terça (14), os servidores da UFSJ aprovaram a adoção do estado de greve. A medida, aprovada por unanimidade, foi deliberada como forma de enfrentamento à integração do ponto eletrônico do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SigRH), da UFSJ, ao Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (Sipec), do Governo Federal. Além disso, o sindicato assume posição contrária à adoção da Instrução Normativa (IN) nº54, que trata sobre o direito de greve dos servidores e formas de reprimi-lo.


A deliberação da assembleia inclui também a não participação da categoria dos técnicos-administrativos na comissão, proposta pela reitoria, responsável pela análise da integração ao SigRH e uma refutação pública da resposta da reitoria aos ofícios encaminhados pela diretoria do Sinds-UFSJ, solicitando a paralisação imediata da integração do SigRH ao SIPEC e suspensão total da adesão à IN nº54 na universidade, que foi considerada insuficiente e contraditória tanto para a diretoria do sindicato quando para a base sindical.


Os servidores defendem que ainda existem muitas incertezas quanto ao processo de integração do ponto eletrônico e suas consequências para os trabalhadores. Já a IN nº54 é vista como um ataque ao direito de greve dos servidores públicos. Participação docente


Dois membros da nova diretoria da ADUFSJ - Seção Sindical, que participaram da reunião convocada pela Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PROGP) para informar aos sindicatos sobre a integração do ponto, participaram da assembleia. A vice-presidenta da ADUFSJ, professora Carolina Ribeiro Xavier, definiu a adoção da integração como “assinar um contrato em branco”, uma vez que não há informações concretas sobre como ocorrerá a integração, a quais dados o sistema do governo terá acesso e em que momento isso ocorrerá.


Confira aqui a Nota Aberta divulgada pelo Sinds-UFSJ