Conselhos Superiores da UFSJ votam NÃO ao Future-se, rejeitando a adesão ao Programa


Na tarde de ontem, 19, a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), em reunião de seus Conselhos Superiores, rejeitou por unanimidade a adesão ao Programa Future-se, apresentado pelo Ministério da Educação (MEC).

O Anfiteatro do Campus Santo Antônio esteve ocupado por membros dos Conselhos Superiores e da comunidade acadêmica da UFSJ l Foto: Maria Catarina Carvalho

Membros dos Conselhos Universitário (Consu), Diretor (Condi) e de Ensino, Pesquisa e Extensão (Conep) e representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE), da Associação dos Professores de Ensino Superior de São João del-Rei (ADUFSJ) e do Sindicato dos Servidores da UFJS (SINDS-UFSJ) estiveram presentes no encontro, aberto a toda comunidade acadêmica da UFSJ. Durante a reunião, membros dos Conselhos e representantes das bases se posicionaram contrários ao Future-se, destacando os retrocessos do Programa para o ensino, a pesquisa e a extensão universitárias, bem como para manutenção de uma educação pública, gratuita e de qualidade.


Em sua fala, o Reitor da UFSJ, Sérgio Augusto Araújo da Gama Cerqueira, posicionou-se em defesa da autonomia universitária quanto à gestão administrativa e financeira, da liberdade pedagógica e de pensamento, da universalidade e da gratuidade das universidades federais brasileiras.

O técnico-administrativo e membro do Conep, Márcio Eugênio Silva Moreira, posicionou-se contrário ao Programa e destacou a necessidade de tratarmos a educação pública como direito universal e dever do Estado. Abordou ainda os retrocessos que o Programa Future-se representa ao ferir, além da autonomia universitária, o Plano Nacional de Educação (PNE 2014/2024) e a Constituição Federal de 1988.


O Coordenador Geral do SINDS-UFSJ, Denílson Ronan de Carvalho, destacou como a categoria dos técnicos-administrativos em educação será fortemente afetada, caso o Programa seja adotado pelas instituições públicas de ensino superior. “O Ministro da Educação demonstrou que não sabe que existe um terceiro segmento nas universidades além de professores e alunos, que somos nós, os técnicos-administrativos. Nós fomos invisibilizados neste processo, então fica claro que seremos o segmento da Universidade mais afetado, caso haja adesão ao Projeto e esse Projeto de Lei passe”.


Em uma segunda votação, foi aprovada a construção de uma Moção de Repúdio ao Programa Future-se, que será elaborada com base nas críticas apontadas na reunião.


A UFSJ passa a compor o grupo de Universidades que já se posicionaram contrárias ao Future-se: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Universidade Federal de Roraima (UFRR).


Coordenadores do SINDS-UFSJ e muitos sindicalizados marcaram presença com faixas e cartazes levando a mensagem do que foi deliberado na manhã do dia 19, em Assembleia Geral da categoria: "Nós, técnicos-administrativos (R)existimos e somos contra o Future-se".


Coordenação de Comunicação SINDS-UFSJ

20/08/2018


Sindicato dos Servidores da UFSJ

Praça Frei Orlando, nº170, Centro

São João del-Rei (MG) 36307-352

Tel (32) 33721047 - (32) 33721047

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco